Lemnis » Antroposofia, Homeopatia e Farmácia de Manipulação

23.08.10

Óleo de Rosa mosqueta no tratamento das cicatrizes, estrias e envelhecimento da pele

por

Nome Botânico:

Rosa aff. Rubiginosa.

Sinonímia:

Rosa selvagem, rosa silvestre, rosa canina, rosa primitiva, hunds rose (alemão), rosa canina (espanhol), églantine (francês), wild rose (inglês), rosa selvatica (italiano), rosae (latim).

Família:

Rosaceae.

Parte utilizada:

Fruto, casca e sementes.

 

 

Histórico e curiosidades:

É das sementes da Rosa Mosqueta, planta silvestre dos Andes Chilenos, que é extraído seu óleo.

Em um estudo morfológico do efeito da sulfadiazina de prata, extrato de ipê-roxo e extrato de barbatimão na cicatrização de feridas cutâneas, Coelho et all, 2010, evidenciou em análise histológica a proliferação vascular, neutrófilos, linfócitos, fibroblastos, fibras colágenas e epitelização. Os achados macroscópicos mostraram epitelização completa aos 14 dias em todos os animais dos grupos S (Sulfadiazina), IR (Ipê roxo) e B (Barbatimão). Na análise histológica aos 14 dias, apenas o grupo C (Controle – tratado apenas com soro fisiológico) ainda apresentava epitelização incompleta em seis animais; neste mesmo período houve diferença estatisticamente significativa entre o grupo controle e os demais grupos quanto ao processo inflamatório e neovascularização. Em relação à presença de fibroblastos e colágeno, houve diferença estatisticamente significativa entre o grupo controle e os demais grupos aos 30 dias. Desta forma a análise dos resultados morfológicos permitiu ao pesquisadores concluir que o grupo S, IR e B foram favorecidos no processo de cicatrização das feridas cutâneas, quando comparados com o controle (C). Esta pesquisa demonstra que de forma mais natural é possível melhorar o processo de cicatrização.

Ecologia:

Originária da área do Mediterrâneo e da Europa Central, foi trazida para a América do Sul pelos colonizadores espanhóis, e cresce na região sul e central do Chile como uma planta selvagem, em solos secos de baixo valor agrícola.

 

Constituintes:

Altas concentrações de betacarotenos e licopenos (polpa do fruto); altas concentrações de vitaminas A, B1, B2, E e K, além de minerais como K, Ca, Na, Fe, Mg; altas porcentagens de ácidos graxos poliinsaturados (44% de linoléico e 36% de alfalinoléico); ácidos graxos saturados: ácido palmítico (entre 3 e 5%), ácido palmitoléico (entre 0,1 e 5%), ácido esteárico (entre 1 e 2%); outros ácidos graxos como láurico, mirístico, araquidônico, gadoléico e behênico (entre 0 e 1%); ácidos ativos: ácido transretinóico ou tretinoína natural (entre 0,01 e 0,1%).

Ações:

Antinflamatória, antioxidante.

Propriedades Farmacológicas:

Os ácidos graxos são capazes de atuar na membrana celular, aumentando sua permeabilidade de modo a facilitar a entrada de fatores de crescimento, o que promove maior proliferação, migração celular e neoangiogênese, atuando diretamente na fase proliferativa da cicatrização. Em conjunto, a grande quantidade de compostos antioxidantes, como polifenóis, vitaminas E e C e carotenóides exercem efeito protetor sobre as novas células a se formarem na lesão em regeneração.

A Vitamina E possui ação antioxidante, protegendo as células contra os danos dos radicais livres, diminuindo o envelhecimento.

 

Precauções e contra indicações

Individuos hipersensíveis a planta, gravidez e lactação.

Descontinue o uso em caso de sensibilização.

Conservar em local fresco.

Não deve ser aplicado em peles oleosas e afetadas por acne por se tratar de um material nutritivo que favorece a proliferação de microrganismos.

Utilização:

O Óleo de Rosa Mosqueta é utilizado na conservação da textura da pele devido à sua proprie­dade emoliente; confere lubrificação à pele do corpo e rosto, deixando-a macia e mantendo a hidratação natural. Seus componentes auxiliam na manutenção de uma pele bonita e saudável. Por hidratar, lubrificar e nutrir a pele, é um cosmético indicado para peles muito secas, ásperas e sem vida.

Para o tratamento dos processos de cicatrização o óleo de Rosa mosqueta pode ser enriquecido com Vitamina E da seguinte forma:

Vitamina E oleosa 2%

Óleo de Rosa mosqueta qsp

O óleo de Rosa mosqueta pode ser preparado em diversas formas farmacêuticas, tias como: creme, loção, gel, dentre outras.

Os produtos contendo óleo de Rosa mosqueta podem ser indicados para tratar ativamente ocorrências da pele, tais como:

  • cicatrizes cirúrgicas e quelóides em geral;
  • marcas recentes ou antigas de queimaduras, feridas e acne;
  • lesões de processos ulcerantes ou alérgicos;
  • prevenção e tratamento de estrias;
  • rugas, linhas de expressão muito acentuadas e linhas de envelhecimento;
  • pele ressecada ou descamando;
  • manchas na pele;

Consideração farmacêutica

Recomenda-se o uso diário à noite após o banho ou ducha, aplicando pequena quantidade do produto na pele úmida e espalhando com movimentos circulares até que seja absorvido. Se necessário, aplicar com vigor. Nos casos de peles muito secas e descamativas, recomenda-se duas aplicações diárias, pela manhã e à noite.

Fontes:

 

COELHO, Julice Medeiros et al. O efeito da sulfadiazina de prata, extrato de ipê-roxo e extrato de barbatimão na cicatrização de feridas cutâneas em ratos. Rev. Col. Bras. Cir.,  Rio de Janeiro,  v. 37,  n. 1, Feb.  2010 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-69912010000100010&lng=en&nrm=iso>. access on  20  Aug.  2010.

SANTOS, Joyce Silva; VIEIRA, Ana Beatriz Duarte; KAMADA, Ivone A Rosa mosqueta no tratamento de feridas abertas: uma revisão. Revista Brasileira de Enfermagem, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v62n3/20.pdf

(acesso em 14/10/2009)

 

Óleo de Rosa mosqueta Herbarium. Disponível em:

http://www.herbarium.net/Geral/Bulas/OleoDeRosaMosqueta30mlBula0109_00302.pdf

(acesso em 14/10/2009)

LEMNIS FARMÁCIA • Av. Carandaí, 58 - Santa Efigênia • (31) 3245-0560. » Entrar
Belo Horizonte, MG - Brasil. Farmacêutica Responsável: Eliane Maria Silva Azevedo CRF 9258
DoDesign-s Design & Marketing